Sábado, 31 de Dezembro de 2005
NO LIMIAR DE 2006


Bagdad - foto de Gideon Long/Reuters


O ciclo de vida que se traduz em nascer, viver e morrer, alimenta o nosso desejo de existir.
Para aqueles que acreditam em Deus, a busca da perfeição é um objectivo, mas para quase todos, impõe-se a lei da sobrevivência. Apesar de tudo, a juventude continua à procura de ideais, muitas vezes não olhando ao perigo.
Vem isto a propósito da notícia de hoje do Correio da Manhã, onde é relatada a odisseia de Farris Hassan, um jovem norte-americano de 16 anos, filho de pais americanos oriundos do Iraque, que partiu para Bagdad – aproveitando os 15 dias de férias escolares –, tendo como finalidade “experimentar as dificuldades por que passam os iraquianos, de maneira a poder compreender o seu sofrimento”. Confesso que fiquei surpreendido. Para além da ingenuidade própria da idade, o facto de querer fazer um trabalho escolar de jornalismo, mas com realismo, merece a minha admiração. Que lição para tantos jornalistas que há por aí sentados à sua secretária.
Com o dinheiro da “mesada” e documentação originária dos pais, foi à aventura para verificar a realidade do país. Depois de tantos dias de viagem, acabou por ficar apenas um dia em Bagdad, tempo suficiente para arriscar a vida várias vezes. Quando o encontraram, limitou-se a dizer “este é um dos piores lugares do mundo, mas quando voltar para casa, vou apreciar muito mais tudo o que tenho, vou beijar o chão e abraçar toda a gente”.
Acham que este jovem esquecerá esta autêntica aventura? Penso que não.
Que melhor forma poderia este moço ter encontrado para começar um Novo Ano?


publicado por josedusantos às 20:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 24 de Dezembro de 2005
PRESÉPIO SANTUÁRIO DE FÁTIMA



A TODOS VÓS QUE VISITAIS ESTE CANTINHO, DESEJO UM SANTO E FELIZ NATAL, UM NOVO ANO ABENÇOADO PELO SENHOR.

Vamos aproveitar a época festiva para reflectir sobre o nosso papel na sociedade.

Em primeiro lugar vamos dar aos outros aquilo que o Senhor nos dá de graça: o tempo. Utilizêmo-lo fazendo o bem áquele que está ao nosso lado, que tem carências e nós não vemos.
Em segundo lugar sejamos os construtores de pontes, dialogando com todos.
Não façamos ao próximo aquilo que não gostaríamos que nos fizessem a nós, pode ser um bom princípio. Melhor ainda será fazer o bem dando daquilo que poderemos prescindir e não o que nos sobra.


publicado por josedusantos às 23:32
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

A ORAÇÃO DO MENINO



Menino Jesus que estás no céu
Ajuda os meus pais e os meus irmãos
Não deixes que as pessoas passem fome
Dá-lhes roupa para vestir, casa para estar
Pessoas para curar
Olha para os meninos de África
Não os deixes sofrer e morrer
Como vemos na televisão
Mães que choram com meninos ao colo
Ajuda os meninos com os olhos abertos e cheios de moscas
Este Natal não quero presentes, dá para eles
Este Natal vou chorar com pena deles
Dos que têm fome e não tem água
Daqueles que não têm roupa
Menino Jesus olha por eles

Nota: Oração de um menino de 7 anos enviada ao Menino Jesus


publicado por josedusantos às 00:41
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2005
ESTAMOS EM FESTA?


OS ANJOS NO CÉU LOUVAM O DEUS MENINO E NÓS?


publicado por josedusantos às 10:18
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Terça-feira, 20 de Dezembro de 2005
O NOSSO CORAÇÃO É O PRESÉPIO



Na simplicidade está o segredo dos humildes
Na vaidade a força dos poderosos
Nesta quadra todos têm as suas lides
Mas o Natal quando chega é para todos


publicado por josedusantos às 22:57
link do post | comentar | favorito

RECORDAR, AINDA É VIVER


publicado por josedusantos às 10:15
link do post | comentar | favorito

EM TEMPO DE NATAL
Poesia ao Menino Jesus

A imaginação esvai-se suavemente para além
Suspenso, qual ave voando
Eis-me só, nada em redor, objectos ou pessoas, ninguém
Oh, mas ouço vozes, é alguém cantando

Agora creio compreender, são Anjos louvando
Sim, glorificam o Natal de Deus Menino
Obrigado meu Deus, sinto minha alma exultando
Por tão grande favor Divino

Que alegria imensa
Todo o meu ser rejubila
Não fosse a presença de uma amargura intensa
E seria como um oceano bonançoso de água cristalina

Acaso haverá criatura que subsista a esta dor?
Guerras, fome e outras misérias mais
Lares onde é desconhecida aquela palavra “Amor”
São tantos, que vós já nem notais

Fosse o meu coração uma gruta grande e espaçosa
Onde pudesse encerrar tudo isto
Fechar com fortes cadeados de amor, seria coisa maravilhosa
Mas Vós sabeis, pois acaso não sois o Cristo?

Que a Vossa vontade se cumpra Deus Menino
Dai-nos hoje e em todos os dias da nossa vida terrena
A Vossa graça, o calor do Vosso grande amor, esse amor Divino
Concedei-nos ó Bom Jesus, a Vossa paz duradoira e plena

J.E.S.


Nota: O desenho e o texto correspondem à versão original publicada em Dezembro de 1964, onde a ingenuidade dos verdes anos está patente. Decorreram 41 anos, hoje, certamente utilizaria um português mais elaborado, fruto de uma evolução normal, mas a verdade é que a ideia de fundo continua actual. Nessa época, militava na Juventude Operária Católica, não perdi esse espírito, mas a vivência da vida “obrigou-me” a seguir a via da luta pela sobrevivência. Pelo caminho ficaram muitas ideias e objectivos, mas ainda mantenho a militância pelos valores da justiça, da fraternidade, do amor ao Divino e ao próximo. O assumir deste texto nesta quadra é mais uma forma de humildade e partilha com todos vós. Que o espírito do Senhor desça sobre cada um de nós nos bons e maus momentos da vida, inundando os nossos corações de paz e amor pelo próximo. Bom Natal.


publicado por josedusantos às 10:01
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 15 de Dezembro de 2005
...



O caminho para a casa do Senhor está livre, as portas abertas e o seu coração espera-nos.


publicado por josedusantos às 18:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

As curvas da vida...


publicado por josedusantos às 17:53
link do post | comentar | favorito

O retorno a casa
O regresso a casa foi feito por outra via, fiquei com a impressão de que me custou menos – talvez por ser a descer –, mas o tempo dispendido com a caminhada redundou num sentimento de cansaço e lassidão, apenas superado pela paz de espírito de que estava possuido. Foram duas horas de busca e encontro com os mistérios do Senhor, as quais recordo com satisfação e desejo de um dia repetir. Até sempre.


publicado por josedusantos às 17:38
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

A caminho do centenário

FÁTIMA EM AGOSTO

Cumprir promessas

Oferta de flores à Virgem

A luz da fé

Água de Fátima

Peregrinação Internaciona...

Bispo de Leiria-Fátima vo...

Comunidade Ucraniana em P...

Igreja Paroquial de Fátim...

arquivos

Janeiro 2017

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds