Sábado, 4 de Junho de 2005
FÁTIMA E A SUA ESPECIFICIDADE

O quotidiano de Fátima é similar ao de outras cidades, a única diferença é a sua especificidade


É bom que, de vez em quando, possamos sentir uma brisa suave a bater-nos no rosto. O problema é quando a brisa se transforma em vento forte, então, podemos ser abanados. Vamos fazer um teste, no final do texto, digam-me se sentiram a brisa ou foram “abanados”.


                                         A minha (?) cerejeira


Eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada......


     Ao elaborar este texto, o meu primeiro pensamento vai para aquela canção do saudoso Zeca Afonso, que foi mote daqueles que se opunham ao antigo regime de Salazar. Independentemente de concordar – ou não – com os seus ideais políticos, confesso que sempre admirei a sua coragem e espírito de luta. A minha homenagem para ele e para todos aqueles que fizeram da sua vida uma contenda permanente pelo ideal da democracia.


Em segundo lugar, recordo 1975 - o ano em que plantei esta árvore. Ano histórico para mim e certamente para milhões  de portugueses que ansiavam pela democracia para todos e não apenas para alguns.


Melro e cereja.JPG


Ter uma cerejeira numa rua principal de Fátima, é singular pela positiva e pela negativa. Mesmo assim, sinto-me privilegiado. Desde que a plantei, fui tratando dela o melhor que sabia. Ao longo dos anos reguei-a, podei-a e dediquei-lhe todos os cuidados necessários. E podem crer que dá muito trabalho, especialmente em duas estacões do ano: quando as cerejas começam a amadurar, os pássaros  “aliviam-se”, deixando o chão sujo de excrementos – e se o meu carro estiver à sombra da árvore, já sei que também tenho que o limpar - e as cerejas bicadas, assim como os caroços que depois caem no solo. No outono, com a queda da folha,  quantas vezes eu tenho que as apanhar, nem conto...


cerejas lindas.JPG


Mas devo dizer-vos que também tenho compensações. Na primavera vejo-a florir e depois a ser polenizada pelas abelhas. A flor dá lugar ao aparecimento das minúsculas cerejas que vão crescendo –em simultâneo com a folhagem que entretanto também rebenta – até colorir, a caminho do amadurecimento. Quando começam a amadurar, então tenho “visitas”, muitas visitas. São pássaros, vindos não sei de onde, que procuram o saboroso fruto. Ainda elas estão a  pintar, já os benditos  visitantes andam a debicar. Não há tempo a perder, nem sequer as deixam amadurecer. Melros e pardais, são os principais frequentadores. Os melros são os mais ousados, pois comem na árvore e levam uma no bico –para o caminho ou para os filhotes que têm no ninho. Enquanto há frutos, é festa todos os dias para eles. Sinto prazer em ouvi-los, até me fazem esquecer que são intrometidos. Comem as cerejas,  mas agradecem emitindo a sua única expressão conhecida: o canto. É de facto um prazer ouvir os melros  - e até rouxinóis - a cantar, são melodias de encantar.


Cerejeira outono.JPG


 Por falar em canto e voltando ao tema do saudoso Zeca Afonso: eles comem tudo e não deixam nada, a letra tinha sentido político, referia-se a outros melros:  os poderosos de então, políticos e quejandos. Hoje, este tema está  mais actual ainda, tendo em conta a corrupção que campeia  em quase todos os sectores, principalmente no económico, político e desportivo deste país. Nos melros, eu noto uma característica: comem muitas cerejas, contudo, nunca as comeram todas, sobejaram sempre algumas. Quanto aos outros melros nós não conseguimos sequer ver quando as comem, mas que as papam, isso é certo. Até quando vamos permitir que os melros deste País continuem a comer tudo e não deixar nada? Tem a palavra os leitores.


 


Cerejeira em flor.JPG


  Este texto é dedicado a todos aqueles que se sentem injustiçados e pisados pelos mais poderosos. Que nunca vos falte a coragem de lutar por uma vida melhor. A vida só tem valor quando abraçamos causas e somos capazes de dar a “cara” por elas. Só assim os conseguimos vencer.



publicado por josedusantos às 15:43
link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De graa a 16 de Julho de 2005 às 10:08
Ola Eduardo
O teu blog esta esta fantastico, bem gostaria k o meu fosse assim bem elaborado
kem sabe com o tempo vai.


De maggie a 17 de Junho de 2005 às 22:48
Olá vim agradecer a tua visita no meu blog e devo dizer que gostei mto do teu estive a ler os textos.Jinhos


De ABC Drio a 8 de Junho de 2005 às 13:14
Muito obrigado pelo seu comentário. É graças a eles que vou conhecendo novos espaços. :))
Abraços


De Gaja a 7 de Junho de 2005 às 01:59
Partilho contigo esse espírito. Ter uma árvore que dá frutos...e ainda por cima quando foi plantada por nós. No outro dia plantei algumas, só espero que dê frutos. Se já não forem para mim, serão para alguém e só assim se muda o mundo.Dar. Bj da Gaja.


De isa a 7 de Junho de 2005 às 01:31
Ola muito obg por teres visitado o meu blog, estive a ler as tuas coisas e adorei este texto, fique sem palavras ao ler… esta lindo adorei. Beijo ate a próxima visita :-)


De L_u_a a 5 de Junho de 2005 às 16:33
Olá, Eduardo!" Este texto é dedicado a todos aqueles que se sentem injustiçados e pisados pelos mais poderosos. Que nunca vos falte a coragem de lutar por uma vida melhor. A vida só tem valor quando abraçamos causas e somos capazes de dar a “cara” por elas. Só assim os conseguimos vencer" .... Mais paravras para quê? ... Parabéns pelo teu blog.


De kaldinhas a 5 de Junho de 2005 às 00:26
Olá Eduardo,só te digo que se eu soubesse onde era a tua cerejeira não eram só os pássaros a comer.Seria eu também ehehehheheh,iamos ver quem comia mais :-)

Adorei a maneira como acabaste o teu texto.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

A caminho do centenário

FÁTIMA EM AGOSTO

Cumprir promessas

Oferta de flores à Virgem

A luz da fé

Água de Fátima

Peregrinação Internaciona...

Bispo de Leiria-Fátima vo...

Comunidade Ucraniana em P...

Igreja Paroquial de Fátim...

arquivos

Janeiro 2017

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds