Sábado, 24 de Junho de 2006
FLORES PARA NOSSA SENHORA


«A fotografia natural também nos pode surpreender. Esta imagem da Capelinha das Aparições foi obtida esta semana. Como? É simples, foi tirada a partir da base da estátua do Coração de Jesus com as plantas em flor.«

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

Para completar o post anterior, esta tarde desloquei-me ao recinto do Santuário. Após concluir o objectivo que motivou a visita, fui descendo vagarosamente até à capelinha das Aparições para uma breve oração (pensei eu). No entanto, à medida que caminhava ia observando o movimento em redor. A minha atenção voltou-se para o caminho dos penitentes - aquele espaço a meio do recinto que os peregrinos percorrem de joelhos até à capelinha. Dei comigo a pensar no que pode motivar cada um a fazer e cumprir aquelas promessas que, para alguns deve ser difícil, mesmo doloroso. Todas encerram sempre um pedido feito e gratidão. Por isso as satisfazem. Tive ocasião de ver vários penitentes, de condições diversas e graus ectários muito diferentes, desde crianças a idosos, homens e mulheres. Houve uma jovem mãe que me comoveu. Percorreu todo aquele caminho com o (a) filho(a) - aparentava ter poucos meses - ao colo até à capelinha. Ao lado, um jovem (esposo?) acompanhava-a, sempre solícito. Por perto, também uma senhora de mais idade - os traços fisionómicos indiciavam ser mãe daquela - que empurrava um carrinho de bebé.
Quando chegou junto à capelinha parecia cansada, o bebé começou a chorar de forma continuada, alguém lhe chegou um biberão que ela foi administrando à criança. Manteve-se de joelhos e depois continuou a caminhada muito lentamente, deu-me a impressão de que o bebé adormecera. Cerca de quinze minutos depois estava novamente na frente da capelinha, levantou-se e entregou o bebé à senhora de idade que, carinhosamente o colocou no carrinho. Encostada à parede, o seu rosto indicava muita fadiga. Amparada pelo esposo (deduzo), descansou uns momentos. Avançou depois um pouco mais e em conjunto com quem a acompanhava esteve alguns minutos - possivelmente a orar - em frente a Nossa Senhora. Quando olhei novamente, verifiquei que aquela família já se encaminhava para a saída do Santuário.
Fiquei impressionado e pensativo. Que facto ou coisa importante teria levado aquela jovem a fazer aquilo? As pessoas não prometem por prometer, há sempre algo de muito pessoal, íntimo, que as leva a esse extremo. Quando se deslocam a Fátima para cumprir a promessa, então é evidente que obtiveram o que solicitaram. Aquela criança teria sido a razão da sua promessa? É possível.
A Vida de um ser humano vale todas as promessas e sacrifícios de uma mãe. Tomemos como exemplo estas mães que defendem a Vida e lutemos também pela sua defesa.
Estas poderão ser as nossas flores para Nossa Senhora, certamente que ela as aceita de bom grado.


publicado por josedusantos às 23:06
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

A caminho do centenário

FÁTIMA EM AGOSTO

Cumprir promessas

Oferta de flores à Virgem

A luz da fé

Água de Fátima

Peregrinação Internaciona...

Bispo de Leiria-Fátima vo...

Comunidade Ucraniana em P...

Igreja Paroquial de Fátim...

arquivos

Janeiro 2017

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds